segunda-feira, 30 de maio de 2016

VÍTIMAS DA TAURUS

Há alguns dias a Globo News fez uma matéria mostrando o resultado das perícias feitas pela Polícia Civil do Rio de Janeiro, onde foram testadas 55 pistolas da Taurus e 36 delas apresentaram problemas, isto é, cerca da 65% das armas testadas tiveram algum tipo de mal funcionamento durante os testes. Nesta mesma matéria foi entrevistado um Policial Militar de Goiás que foi vitimado por uma arma da Taurus que caiu ao chão e disparou, atingindo sua perna e lhe causando sequelas permanentes.

Em outra compra de armas feita também pelo Governo do Rio de Janeiro, foram gastos mais 6 milhões de reais para adquirir cerca de 1.300 carabinas da Taurus. O problema é que mais de 1000 carabinas apresentaram problemas e tiveram que passar por um Recall. A Taurus diz que não foi um Recall, mas sim “uma manutenção de 3° Escalão” e como vivemos no Brasil essa mentira colou! Veja toda matéria neste link – FABRICANTE DE ARMAS VIRA ALVO DE RECLAMAÇÕES.

Ao ser procurada pela Globo News, sobre os defeitos em suas armas de fogo e sobre o resultado das perícias feitas no Rio de Janeiro, a Taurus mais uma vez deu sua resposta padrão: “Estamos passando por uma reestruturação e que não existe problema algum em suas armas”. Claro que esse tipo de resposta só é aceito aqui no Brasil!! A Taurus tentou mentir para os consumidores americanos e se deu mal, pois lá ela pagou uma indenização de 39 milhões de dólares!! Veja a matéria –TAURUS FAZ ACORDO DE 39 MILHÕES DE DÓLARES POR CAUSA DE PISTOLAS COM DEFEITO NOS EUA!!

Vídeo do Canal Amigo Policial no YouTube
Nestas horas é que temos que nos perguntar onde está o Exército Brasileiro que não se manifesta frente a tantos casos envolvendo as armas da Taurus, já que eles são os responsáveis por fiscalizar as fábricas de armas nacionais? Onde estão os parlamentares deste país que permanecem silentes? A CPI da TAURUS tem que se concretizar e a legislação nacional deve ser reformulada!!





Enquanto nada acontece, policiais e consumidores estão morrendo e se ferindo e a sociedade, que já recebe uma segurança pública de péssima qualidade, fica ainda mais prejudicada, pois os policiais que fazem a segurança das ruas trabalham com uma arma ineficiente, como por exemplo as destes dois vídeos que vamos postar a frente.
As VÍTIMAS DA TAURUS não se cansarão até que a verdade seja assumida pela Taurus, admitindo a péssima qualidade de suas armas; até que o mercado nacional se abra para fabricantes estrangeiros e até que todo estrago e danos sejam reparados, pois muitos já morreram e se feriram graças a irresponsabilidade desta fábrica de armas, chamada Forjas Taurus. Que se faça justiça neste Brasil!!

Fonte: Blog vítimas da Taurus


sábado, 28 de maio de 2016

Opinião do Leitor


Economia com a Carreira Única

Todo governante sempre cita a Lei de Responsabilidade Fiscal para não conceder o aumento salarial pretendido pelos servidores, dizendo que o impacto na folha de pagamento irá prejudicar a administração.

Verificamos que com a criação de um acesso único na Polícia Militar Corpo de Bombeiros Militar, o governo promoveria uma carreira mais atrativa, promoveria mais  mais militares anualmente e não sofreria impacto na folha de pagamento, como explicaremos.

Formas de acesso nas Corporações militares

São duas as maneiras de se entrar na PMDF e no CBMDF, ou entra-se como Soldado ou como Cadete com a exigência de possuir nível superior completo em ambos os casos. Atualmente para formar um Oficial leva entre 24 e 36 meses com elevado custo(milhares de reais talvez), pois, em tese, o ingresso é de uma maioria de civis. Até mesmo, os "da Casa" os praças que fazem o CFO têm de se submeterem ao longo e oneroso curso que ao final dá a aptidão ao formando de ser promovido a Aspirante. Não há um aproveitamento da experiência acumulada e nem da formação anterior desse praça. Em contrapartida, para formar um Oficial de dentro da Corporação, levaria-se no máximo entre 3 e 6 meses, sem o militar ter de passar pelo "aspirantado", ou seja, teríamos um militar pronto em menos tempo para servir à sociedade.
A ideia da Carreira Única é fazer com que o candidato entre como Soldado, sendo promovido gradativamente para Cabo, 3º Sargento, 2º Sargento, 1º Sargento e Subtenente, nesta graduação, o militar estaria justamente qualificado para chegar ao oficialato.
Como já foi dito, o Subtenente precisaria apenas de 3 a 6 meses para ser formado oficial e,  com isso, surgiria espaço para a promoção de um 1º Sargento a Subtenente e, sucessivamente abririam vagas para os demais militares abaixo.

Cabe ressaltar que a diferença dos vencimentos de um Soldado e um Subtenente, nem alcança os vencimentos de  um 2°Tenente, por isso que o título acima fala em ECONOMIA, sem falar que  foram geradas 6 promoções, a saber:

- Um Subtenente promovido a 2º Tenente 
- Um 1º Sargento promovido a Subtenente
- Um 2º Sargento promovido a 1º Sargento
- Um 3º Sargento promovido a 2º Sargento
- Um Cabo promovido a 3º Sargento
- Um Soldado promovido a Cabo





Com a implantação da Carreira Única 6 pessoas, por que não dizer 6 famílias, serão beneficiadas com as promoções, além do ganho institucional com a extinção dos diversos Quadros de Praças e de Oficiais, unificando-os em um único QUADRO POLICIAL de fato e de direito.

Sugestão
Acabar com a entrada direta de pessoas para Oficial, sendo obrigatório entrar como Soldado, passando pelas demais graduações e quando chegar a Subtenente, ser promovido a Oficial, tudo regulado por uma Lei que regulamente as promoções.


Texto enviado por leitor que não quis se identificar

terça-feira, 24 de maio de 2016

Querem usar o Fundo Constitucional do DF para pagar Inativos e Pensionistas das áreas de Saúde e Educação


Fundo Constitucional: Salários de Inativos e Pensionistas da Saúde e Educação podem ser beneficiados
Enquanto as categorias de policiais e bombeiros lutam diariamente por melhorias nas suas carreiras, um Projeto de Lei de Nº 1342/2015, de autoria do deputado Federal Augusto Carvalho (SD/DF), acrescenta o §4º ao art. 1º da Lei nº 10.633, de 27 de dezembro de 2002, com o objetivo de autorizar o pagamento de inativos e pensionistas das áreas de saúde e educação com recursos oriundos do Fundo Constitucional do Distrito Federal (FCDF) e, provavelmente, com o possível apoio do governador do DF Rodrigo Rolemberg.
Augusto Carvalho 4Pelas justificativas apresentadas pelo deputado Augusto Carvalho, a determinação de que os recursos do Fundo Constitucional sejam utilizados para pagar os inativos da saúde e da educação do DF acaba por desvirtuar completamente a finalidade para qual foi criado o Fundo em 2002 pela Lei 10.633. O que diz a Lei: “Art. 1o Fica instituído o Fundo Constitucional do Distrito Federal – FCDF, de natureza contábil, com a finalidade de prover os recursos necessários à organização e manutenção da polícia civil, da polícia militar e do corpo de bombeiros militar do Distrito Federal, bem como assistência financeira para execução de serviços públicos de saúde e educação, conforme disposto no inciso XIV do art. 21 da Constituição Federal”, (grifo nosso).
Portanto, nossos legisladores parecem se confundir em interpretar a Lei e a Constituição Federal. Em nenhum momento fala o Artigo em pagamento de servidores, mas simassistência financeira para execução de serviços públicos.
Como se não bastasse os possíveis desvios de recursos que desconfia-se estar sendo praticados já a algum tempo por governos, inclusive abastecendo as áreas de saúde e educação enquanto a própria Polícia Militar não dispõe de um sistema de saúde condizente, agora ainda corremos o risco de ter que dividir tais recursos com outras categorias que não compõem a área da Segurança Pública do DF.
Se o pleito é legitimo, que o deputado Augusto Carvalho e o Governador Rollemberg busquem instituir outro fundo para custear tais despesas que não seja os recursos destinados à Segurança Pública. Nós não temos culpa das irresponsabilidades que levaram o Distrito Federal a estar inserido na Lei de Responsabilidade Fiscal.
Por isso é de suma importância que doravante se exerça pressão das associações, sindicatos e integrantes das corporações militares da segurança pública para acompanharem de perto os trabalhos dessa Comissão lotando a próxima reunião da mesma, patrulhando seus componentes e pressionando os Deputados da base da Segurança Pública no Congresso Nacional, pois o Governador já determinou o apoio a este projeto.
Atualmente o projeto se encontra na Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público pronto para ser votado o parecer favorável do Dep. Augusto Coutinho (SD-PE).
Da redação com informações da Câmara Federal
Por Poliglota…
Leia o Projeto na íntegra clicando AQUI
Leia o PARECER DO RELATOR clicando AQUI

PROCEDIMENTO DIGITAL PADRÃO

PARA PROFISSIONAIS DE SEGURANÇA PÚBLICA

Esse manual não tem a pretensão de obrigar ou censurar nenhum policial quanto a seu procedimento na internet - em sites e redes sociais - posto que cada um possui o livre arbítrio para tomar decisões, a intenção é apenas criar um manual para orientar legalmente os colegas com o objetivo de evitar  constrangimentos, situação perigosas,  dissabores jurídicos ou ambiente hostil entre as forças de segurança.  

A seguir enumeramos alguns pontos relevantes: 

1.  Jamais se exponha ou sua família nas redes sociais, principalmente ostentando armas pessoais,  pois isso é  potencialmente perigoso.  Pelas fotos os criminosos podem identificar você, seus familiares ou seu endereço. 

2. Algumas redes sociais, como o Facebook, possuem filtros de privacidade que permitem que você limite o acesso ao conteúdo apenas a Amigos ou grupos específicos. 

3. Ao comentar ou escrever  sobre qualquer assunto na internet, identificando-se como policial, atente-se para as normas gramaticais. Erros de português muito grosseiros criam uma imagem negativa para toda a corporação. 

4.  Considerando que a internet não é terra sem lei e que nela é possível o internauta incorrer em alguns crimes,  ao escrever ou comentar algo pense sempre o seguinte: "Isto que estou escrevendo e crime?”. Principalmente nos crimes contra a honra. A solução é adotar uma linguagem mais ponderada ou mesmo se abster de se envolver em polêmicas.

5.  Ao compartilhar ocorrências da qual fez parte, não repasse fotos de presos, principalmente se for menor apreendido, pois esse comportamento fere a legislação. 



6. Ocorrencias envolvendo colegas de outras corporação, ou de sua própria, devem ser tratadas com a máxima discrição. Evite dar mídia negativa ou fomentar contenda. Lembre-se, o inimigo são os marginais.

7. Fotos de colegas mortos, salvo para um propósito específico, jamais devem ser compartilhadas. 

8. Filmar as ocorrências ou sua atividade rotineira é um procedimento altamente recomendável, pois pode te livrar de falsas acusações. Porém, antes de divulgar tais imagens analise-as para certificar que seu procedimento está  absolutamente dentro da normalidade.

Da Redação